Novembro 2015

Não há volta a dar-lhe… À medida que os dias se tornam mais curtos para darem lugar à escuridão do Inverno, eu sinto, ou melhor, eu sei que uma grande mudança está para acontecer. Também os meus antepassados o sabiam, enquanto colhiam a última das colheitas e enfrentavam o grande Desconhecido da estação fria. O que quer que as três colheitas tivessem aglomerado determinaria o seu destino: ou abundância e gozo ao calor da lareira, ou grandes percas, fome e morte.

O Samhain é sem dúvida um tempo de liminaridade. Um tempo para colher, mas também para começar a semear a próxima colheita; para abater a maioria do gado para obter carne, à excepção de alguns reprodutores selectos. Um tempo para confiar no silêncio profundo e sempre fértil da Terra.

Read more →