Blog

Esta espécie de diário concentra vários pensamentos acerca das minhas maiores especialidades: perspectivas provavelmente inúteis acerca das palavras, das histórias, da percepção, do sentido de tudo e de tudo o que os medeia, em especial a espiritualidade e a vida mítica.

No meio do Silêncio, a maior tentação é a de falar.

Dou-te as boas-vindas a este espaço. Mas primeiro, faz o favor de retirar as tuas sandálias.


Dia 7. A Prática Diária

Passamos a vida à caça da Vida profunda, ou a ser por ela caçados. Parece inevitável que o derradeiro embate se dê mais tarde ou mais cedo, não parece? É válido perguntar se vale a pena tentar precipitar esse encontro, se é de facto mais precipita...



Dia 6. Os Espaços Sagrados

A Natureza, manifesta dentro e fora do nosso corpo, em todas as paisagens e sociedades, inicia-nos vez após vez, dia após dia, através dos sentidos que nos colocam em contacto com ela. É por toda a experiência humana ser uma iniciação contínua que entendo que tudo...



Dia 5. Os Elementos

Sobre as nossas cabeças, o Céu. À nossa volta, o Mar. E a Terra sob os nossos pés. Ao centro, o Fogo, as Águas, a Árvore dos Mundos. Tentar sobrepor a este diagrama-base os quatro elementos aristotélicos, com ou sem a adenda do quinto element...



Dia 4. Os Três Reinos

As cosmologias recordam-nos — e ao recordar-nos, alimentam-se — da verdadeira ordem do Mundo. E numa perspectiva celta, como parece ser aliás a da generalidade das culturas indo-europeias e algumas outras mediterrâneas, descrever a realidade é até bastante simples: – Como explicar o Mundo? – Três. Três, como os patamares d...



Dia 3. Terra e Natureza

E se a Canção do Mundo nos coloca no mesmo patamar que todos os demais seres, capazes de construir ou causar dano e viver as consequências nos seus respectivos mundos, quais as fronteiras dessa tal de "Natureza"? Um dos alicerces da druidaria, e de resto, suponho, das...



Dia 2. Cosmologia

No princípio era o silêncio. E de súbito o silêncio se fez grito primordial, urgência. Desejo ardente. De um encantamento tamanho que da explosão se fizeram estrelas, planetas, galáxias inteiras. E também continentes e oceanos, vales e montanhas, árvores que falam baixinho quando paramos para as escuta...



Dia 1. Porquê a via druídica?

A primeira das questões propostas pelo desafio dos 30 dias druídicos é provavelmente a mais significativa. Antes de se explicar como se pratica a druidaria, importa saber porquê praticar esta via e não outra qualquer. E aqui o "porquê" encerra também um "para quê": qual a f...



30 Dias Druídicos

Depois de muitos falsos arranques e adiamentos, decidi finalmente aceitar um desafio que já faz as rondas na Internet desde há alguns anos. Em 2011, inspirada por iniciativas similares em que se é desafiado a fazer publicações de acordo com um determinado tema, todos os dias, durante um mês, a autora...



Druidaria nossa de cada dia

“A letra mata”. Ontem como hoje, sobretudo quando o Awen, a eterna novidade do presente, nos bate à porta e nos recusamos a convidá-la a fazer parte das nossas vidas. É por isso que o renascimento druídico, desde os tempos da Ancient Order of Druids, se recusou a criar ...



Contra-luz

Por agora tens que descansar. Por agora tens que vergar a tua vontade e descer à câmara escura onde se suspendem todos os sentidos e permanece apenas aquela saudade lenta e incómoda do movimento. Pois agora é o momento de descansares o corpo para libertares a mente, e como...



Carta a um Jovem Místico

"Por onde começo?" Diria que prestar atenção, ou melhor, cultivar a tua atenção, é essencial. Se não o fazes ainda, começa a meditar. Faz um exercício básico de atenção plena: toma consciência da tua respiração, foca-te num pon...



Sobre isto de alguém se fazer Bardo

Pergunto-me muitas vezes o que faz do Druidismo aquilo que é. Ou melhor, o que faz do neo-druidismo um caminho assim tão diferente dos outros, especialmente quando consideramos as muitas influências que partilha com outras correntes de espiritualidade. Deixando de parte por um momento a divisão seminal entre o dr...



Samhain. Não há volta a dar-lhe.

Não há volta a dar-lhe... À medida que os dias se tornam mais curtos para darem lugar à escuridão do Inverno, eu sinto, ou melhor, eu sei que uma grande mudança está para acontecer. Também os meus antepassados o sabiam, enquanto colhiam a última das colheitas e enfrent...



Você é druida?

"Você é druida?" Fui tomado de surpresa pela pergunta. Diga-se de passagem, um acompanhamento pouco provável para o meu pequeno-almoço na pensão naquela manhã. Estava pela primeira vez no Reino Unido, uma viagem com que sonhava desde que era criança. Estava hospedado numa pequena cidade ...



The Goddess is in the Other

These first days of February, I have been reflecting about the nature of this season in which many different world cultures seem to celebrate the same process of moving from darkness to light, from cold to warmth, from wintery rest to busy Spring. The promise of blossoming life. A promise, ...



Imbolc

escuta o clamor da Mãe — é o clamor das águas águas de um ventre esperançoso águas de trovões e granizo escuta a voz da Mãe — é uma voz de chamas cintilantes chamas de paixão e inspiração chamas da forja onde se faz do m...



Tens alguma ideia, projecto ou inspiração a partilhar? Conta-me tudo.
hello@fabiobarbosa.net