Imbolc

escuta o clamor da Mãe
— é o clamor das águas
águas de um ventre esperançoso
águas de trovões e granizo

escuta a voz da Mãe
— é uma voz de chamas cintilantes
chamas de paixão e inspiração
chamas da forja onde se faz do metal ouro

escuta o suspiro da Mãe
— é o suspiro dos ventos
eles movem-se dentro de nós
eles seguem além e apesar de nós

a Mãe está em dor
será que consegues ouvir?

dela veio todo o sangue e a seiva das árvores
os seus ramos e suas irreparáveis feridas
os seus anéis de fogo os círculos da vida e da morte

Sabedoria e Caos
Sabedoria vinda do Caos

escuta o clamor da Mãe
— é o clamor urgente do Abismo

despe os cacos da tua antiga pele
tão densa quanto o teu desamor
tão densa quanto a tua escuridão

o caminho da Serpente está novamente livre
— segue-o com todo o teu corpo
segue todo o teu corpo pelo chão molhado

e que a Terra devore as tuas memórias de falsos ídolos
que te deixe tão anónimo quanto a ovelha
que nasce hoje para ser abatida amanhã

porque a Mãe está em dor
e da sua a dor fará todas as coisas novas

Sabedoria e Caos
Sabedoria nascida do Caos.




Continua a ler
The Goddess is in the Other
Tens alguma ideia, projecto ou inspiração a partilhar? Conta-me tudo.
hello@fabiobarbosa.net